sexta-feira, 20 de junho de 2008

Anos 90 os jovens começam a freqüentar os bares do Largo da Ordem

Fotos por André Corradini (Pássaro Aka Bird)


A cidade ia crescendo aos poucos, nos anos 90 Curitiba não chegava nem a 500 mil habitantes. Não tinha muitas opções de lazer dentro cidade o curitibano contava nos dedos as opções existiam nesta época, que eram; o Parque Barigui, Shopping Mueller, Passeio público. O prefeito de 89 estava começando a fazer o seu planejamento dentro da cidade então lazer era super-limitado. Mas o famoso Largo da Ordem começava a se tornar o principal “point” dos jovens. O problema eram os moradores da região que não gostaram nenhum pouco da presença dos jovens. Foram publicadas várias matérias a respeito das bagunças promovidas pela juventude. Guilherme Artigas estudante conta como era o Largo nos anos 90: “Tinham bares um do lado do outro, na parte de cima do largo ali o Tubas é do lado do Fire Fox que até hoje esta no mesmo lugar”.
“Onde funcionou por muito tempo a academia do famoso mestre Noguchi( academia conceituada de Muai Thay) Mas ante de se tornar o maior celeiro de Muai Thay dentro da cidade era um bar e dos bons o Bar se chamava Amnésia.”
Guilherme também lembra muito das brigas que sempre rolava esse também era o motivo que os moradores não gostavam da presença maciça dos jovens no ponto histórico de Curitiba.
“O que rolava era que não eram raros o desentendimento e a pancadaria entre punks do Tubas e playboy do Amnésia. Essa diferença de classe social e de idéias era muito gritante e de estilos um do lado do outro.
“Não posso deixar de mencionar o famoso Circus que funcionava lá em baixão praticamente no começo do Largo da Ordem hoje na Rua São Francisco.”
Os estilos diferenciados também era presença visível dentro do Local. “Tinha muitos e como tinha os metaleiros dominaram depois velho”.
O Circus era o principal reduto underground da cidade
Skatistas, punks, roqueiros, moderninhos todos os estilos que se integravam no chamado underground se juntavam ali menos a playboyzada que naquela época usava blazer. Os caras com 15 anos de idade usavam blazer e gel no cabelo.
Ae tinha o Saci ali, que era MPB e é até hoje (é bem no meio ali do largo).
Do lado dele teve um bar dos punks e dos doidões o Bills que era o lugar mais malvado do Centro. Tinha o Hangar também o bar dos roqueiros cabeludos meio have metal
era na mais pro lado da Muricy bem lá em baixo. As brigas rolavam mesmo porque os playboy era tudo almofadinhas os caras se achavam pra caralho, tudo empetecado e os punks não gostavam disso então imagina o que rolava quando se encontrava e um queria ser mais que outro, nem preciso terminar né? Hoje a Chute Boxe tem nome fora do país com atletas de grande respeito, mas no Largo os cara gostavam de mostrar suas artes, este é um dos motivos que o curitibano demorou pra aceitar e reconhecer o trabalho hoje sério desta equipe de vale-tudo. Na época batiam o cartão lá e também as porradas várias mesmo.
Basicamente era isso o Largo. Os jovens iam chegando aos poucos para pesadelos dos moradores, as casas noturnas foram se instalando no local. A presença de carros também era forte, o som ficava no último volume. Na época o Detran na era tão rigoroso como é nos dias hoje. Com o tempo os moradores foram se deslocando da região, para conseguir ter sossego. Como o tempo á violência foi tomando o local e hoje a prefeitura atual na mão do então prefeito de Curitiba Beto Richa está tentando restaurar todo o Largo e retirar a imagem negativa que o lugar está tendo pelo grande aumento de prostituição e tráfego de drogas também. Os comerciantes reclamam que se houvesse mais segurança teriam mais clientes e as vendas aumentariam.
Eduardo Siqueira

4 comentários:

Anônimo disse...

nos anos 80 havia no largo um bar/club chamado Meia Oito ( hoje eh um anexo do sal grosso, e pertencia aos mesmos proprietarios) . Era o "James" /"Kitinete" da epoca.

Anônimo disse...

Cara...incrível esse texto !
Só flashback na minha mente...
Era exatamente assim...
Eu estava sempre por ali.

Anônimo disse...

Nossa que saudade desse época, eu era frequüentadora do largo, eu tinha uns 17 anos, ia no Tubas, no Hangar, no Circus, era bom demais, andava com os skatistas da época, os metaleiros, os punks, foi a melhor fase da minha vida, adoraria encontrar o pessoal que freqüentava o largo nessa época, tinha o shampoo, o Mano, e o Kaos do Hecatomb q aliás fui a muitos "shows" do Hecatomb alí pelo largo, sem contar o Hangar bar, q era 10 o pessoal era gente boa pacas, ver o Gypsy dream, e as bandas q tocavam no Hangar na época, boa reportagem, deu pra lembrar de muita coisa, inclusive do sindicate q era na frente do mueller e as vezes tinha uns shows legais por lá como p.u.s etc, e o Poeta q teve um tempo q os jovens se reuniam todos na frente para beber e matar o tempo, que saudades...
Beijos da Fabiane

Jlespiritual disse...

O largo representou o grunge de forma espetacular, principalmente com o Bills. Tinha uma banda de Nirvana cover que mandava muito (Hangover), inclusive o batera era filho dos donos do tubas.